História da Delegacia de Furtos e Roubos, o KILO e DCCP

Imprimir

        

“A Furtos e Roubos é o começo do inferno” Frase da marginal “Peneira” – Curitiba - Década de 70.

          Em 1964, na busca de uma nova dinâmica na segurança pública, em especial à repressão ao crime contra o patrimônio, era inaugurada na Rua Pouso Alegre, 417, Bairro Floresta, a moderna Delegacia de Furtos e Roubos, o "KILO". Ao longo de sua existência era temida pelos subversivos assaltantes de bancos, que, quando presos, eram encaminhados para lá. O "KILO". O Inferno da Floresta. Pela Delegacia de Furtos e Roubos, entre 1964 e 1994, passaram os maiores e mais perigosos bandidos de Minas Gerais, ou de outros estados que ousaram consumar suas ações criminosas nas alterosas.
 

          Símbolo de eficiência nas investigações complexas de grandes roubos, quadrilhas e os furtos de repercussão. Também foi palco de superlotação carcerária em sua masmorra, conhecida como "O Inferno da Floresta". Naquela delegacia muitos policiais se feriram, ou sucumbiram diante de balas assassinas. A recíproca também é verdadeira e muitos criminosos morreram nos embates contra os policiais do "KILO", temidos por sua valentia e coragem. Abaixo, são registradas imagens da inauguração em 1964, com a presença do Secretário de Segurança Joaquim "Cocó", delegados Lara Resende, Bolivar Malaquias, Karan e Helvécio Arantes. Também registra o Guarda Civil Messias "Caruncho", ao fundo. Nas demais fotos dessa seleção, detetives Roberto "Bocão", Patrocínio, Romeu Rocha, Resende, "Zé" Ambrósio, José Resende, Joaquim Cravinotti, Maçoni, Cordeiro, "Joãozinho", "Cachimbinho", Maurílio, dentre outros, ainda não identificados. 

 

Abaixo: 1973. Menezes, "Zé Maria "Zebú" e "Calça Verde" na 1ª foto. 1975. Murilo "Preto", Leoncir, Bambirra, "Martinho da Vila", "Canarinho", Gercino, Demerval "Chic Chic" e Loami na 2ª foto. Na 3ª os detetives Patrocínio e Romeu Rocha Ladeiam o inspetor Agostinho dos Santos com outros dois policiais. Na 4ª foto: 1977. Maurílio "Pé Podre", subinspetor Domingos, Malta, "Puto Véio" e Itamar Thiago. 

 

SETORES E SEÇÕES DO KILO

                                                      

         
          Nos anos 60, 70 e princípio de 80, até ser extinta e recriada como Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, a Delegacia de Furtos e Roubos teve como seus titulares os delegados Jaime Guimarães, Dalmy Guarani, Murilo Junqueira, Antonio Orfeu Braúna, Jaci de Abreu, Antonio Alves e Benigno Augusto da Costa. Ainda, os delegados Sílvio de Carvalho, Marcos Peres, Geraldo Generoso, Décio Queirós, "Zé" Ribeiro, Maurício "Brinquinho", Elbert Barra Faria, Roberto "Geleia", e Eustáquio Alvarenga Morais, dentre outros que não temos o registro no momento. Inspetores do "KILO" que se destacaram: Agostinho dos Santos, Nilton Dias de Castro, Romeu Rocha, "Zé Maria "Cachimbinho", Itamar Thiago, Otávio, Walter "Carrapicho", Roberto "Pimpão" e outros. Tinha o Setor Administrativo comandado pelo subinspetor Raphael, com seus auxiliares Paulo Nominato e Marcelinho. O Setor de Valores, do subinspetor Malta "Puto Véio", onde eram guardados os bens apreendidos pelas equipes. Quatro Setores operacionais: 1, 2, 3 e 4. O setor de triagem chefiado pelo subinspetor Domingos e seus companheiros Cunha, "Rasteiro" e "Xamprisco", homens de fibra que conseguiram domar uma das mais perigosas carceragens: o "Inferno da Floresta".


 

          Outros grandes subinspetores devem ser lembrados neste espaço, cada qual com suas características policiais, mas todos comprometidos de maneira inequívoca com os resultados e a união entre seus pares da Delegacia de Furtos e Roubos. Por isso eram respeitados e sempre acionados nos momentos de crise e enfrentamentos mais violentos. Destacamos os nomes dos subinspetores Juarez "Capacete", Adelmo, Múcio, José Ambrósio, Waldir das Dores, Enio, Hélio Gomes, "Nelsinho", Nério, Gama e tantos outros que dignificaram o nome da "Furtos e Roubos". Dentre os nomes citados, alguns participaram das equipes de plantão, sustentáculo para as ações policiais que ocorriam durante o expediente e no período noturno, principalmente nas madrugadas, quando equipes saíam para "estourar malocas". Os policiais do expediente tinham sempre a certeza de que podiam contar com o apoio e cobertura daqueles profissionais do plantão. O melhor plantão operacional naquele lapso temporal.

 

 Acima: da esquerda para a direita: 1978. equipe do Setor B, subinspetor Agostinho e sua equipe: "Tião Carão", Walter "Jumbo", Nedir, Eli, Loami, Geraldo "Segueta" e Faria. 1976: Policiais do Setor 1: "Cachimbinho", "Banda Branca", Maurílio, Orlando, Alcir, "Zé Fernandes, Capa de Costela", Morcego. 1977. "Cachimbinho" e policiais do "KILO". 1976. Setor 3. subinspetor "Nelsinho", Swami, Osmar, Nogueira, desconhecido e Dauro.

          Abaixo:
a
rquivo do KILO com os experientes "Pachequinho" e "Raimundinho". Cartório chefiado por Goetê, com Chiquinho, Valderez e outros escrivães. Milton, Telecomunicações.

         

          O "KILO" tinha cerca de 120 policiais, entre detetives, subinspetores, inspetores, escrivães e delegados, divididos entre os vários setores e chefias daquela unidade policial. Os quatro setores operacionais contavam com cinco equipes de quatro policiais cada um. O Setor de arquivo e retrato falado era composto pelos detetives "Pachequinho" e "Raimundinho". Posteriormente, Waldomiro Pascoal do Vale, D. Elza e "Jorginho" assumiram as atividades. Naquela seção eram fichados todos os conduzidos à Delegacia de Furto por mandados de prisão, ou para averiguação, também denominada à época, "prisão correcional". Os presos eram fotografados e um pequeno histórico de sua passagem no "KILO" era descrito na ficha. Dentro de seu organograma eram registrados também os setores de telecomunicações e Transportes, sendo responsáveis o detetive Matias "Manequim" e "Cabo" Elói. A Furtos tinha uma excelente logística através dos setores de apoio que eram o sustentáculo para as ações policiais.
          

 Acima, nas sete fotos, da esquerda para direita: 1ª: equipe de policiais: Dário, João "doido", "Xamprisco", Balbino, Formiga e Walter "Jumbo". Não temos identificações dos outros quatro policiais . 2ª foto: Inspetores Romeu Rocha, Zé Maria "Cachimbinho" e delegado Antonio Alves. 3ª: Natal da Furtos e Roubos em 1977, com o delegado Dalmy Gurani e seus policiais. 4ª: Paulo Menezes, o Paulo "Silú", Nilson Placidônio, "Waltinho" e João Doido". 5ª foto: reunião de policiais: Orlando, "Zé Maria Zebú", "Chic-chic", Ulisses, Raphael e outros. 6ª e 7ª: Geraldo "Segueta", Ivan, "Tião Carão" e João "Doido".

 

 Abaixo: 1ª: "Tião Carão", Walter "Jumbo", Eli, Alcir, Anésio, João e Geraldo "Segueta". 2ª: Melgaço, Faria, João e Eli. 3ª: Bambirra, Faria, Nedir, "Geraldinho" e Romeu. 4ª: Nelson Fialho, Dante, Faria e Ronaldo "Sujinho". 5ª: Eli, Faria e Melgaço. 6ª: Swami Vivekananda, Faria, "Geraldinho", Bambirra e Nedir. 7ª: De pé: Roberto, Walter "Carrapicho", Scoralick, Nilton Dias de Castro, Edson, "Sivuca", Dirceu "Beleza" e "Joãozinho Metropol".


 
Abaixo: Anésio, João, Faria, Eli, "Carão", "Jumbo" e Melgaço na 1ª. Na 2ª foto: Inspetor Romeu Rocha e delegados Roberto "Geléia" e Jaci de Abreu. 3ª: Geraldo e Ivan. 4ª: "Waltinho", Nilson Placidônio, João "Doido" "Paulo "Silú" e Romeu Rocha. 5ª: Antonio "Pangaré". Faria e Jorge Camarão". 6ª. Lobo, .., Juarez, Cachimbinho, Joãozinho e Maurílio.Eli, Darci, Anésio, João e Geraldo.

 

DILIGENCIAS, PRISÕES  E INVESTIGAÇÕES DIVERSAS  


    

  1969. Prisão realizada por Romeu Rocha. Ao lado, "Cachimbinho" e Cota. 1972. Agostinho dos Santos e larápios presos. 1974. Delegado Lara Resende, Pio Nono, Patrocínio e um 171 preso demonstrando suas "habilidades".  

 

A Prisão de Lúcio Flávio Lírio Avellar

          Em 1969, no período de grande efervescência no regime militar, inúmeros roubos a bancos começaram a eclodir no país. Na capital mineira e cidades circunvizinhas, não foi diferente, causando terror aos moradores da pacata Belo Horizonte, não acostumados com aquele tipo de violência. Os policiais da Delegacia de Furtos e Roubos foram acionados para identificar e prender os criminosos, possivelmente subversivos. Pouco tempo se passou para localizar e prender a quadrilha do maior assaltante de bancos brasileiro naquele período, o carioca Lúcio Flávio Lírio Avellar, na pensão Auxiliadora, na região do Hospital da Santa Casa. Os bandidos presos, foram interrogados no "KILO' e assumiram a autoria dos roubos em Belo Horizonte e outras capitais do país. Abaixo Lúcio Flávio e seus parceiros quando foram presos e recambiados para o RJ. Os detetives Nério Barbosa e Murilo "Preto" foram dois dos policiais da Furtos que participaram da prisão.  Outras informações podem ser pesquisadas no artigo Crimes e Criminosos/Bandidos, deste site.

 

Furto de Imagens Sacras

          No princípio da década de 70, as igrejas históricas de Minas Gerais sofreram seriamente pela incursão de bandidos, que, aproveitando a fragilidade na segurança, furtavam inúmeras imagens e peças sacras da época de ouro do Brasil Colônia. O "KILO" mostrou sua cara e realizou diversas investigações que identificaram os ladrões, imagens e diversos receptadores de São Paulo e Rio de Janeiro.  A Revista O Cruzeiro, o maior meio de comunicação escrita da época, registrou em suas páginas a eficiência dos policiais do "KILO" e a grande manifestação para recebimento de uma das imagens localizadas. 

Delegados Ediraldo Brandão e José Resende. À direita: investigadores Osmar "Sapo", Darci "Burro Branco" e Inspetor Romeu Rocha (Cabeção). Crime de repercussão nacional, cuja apuração foi matéria jornalística da Revista "O Cruzeiro".

 

  Abaixo: 1971-Romeu Rocha, Pio Nono, Patrocínio, inspetor Frederico e policiais do "KILO" no momento de prisão e apreensão de res furtiva. 1970. Inspetor Pio Nono e apreensões de armas e munições. 1973. Delegado do "KILO" Sílvio de Carvalho. 1972. Reconstituição de latrocínio na região do Gorduras. Presentes os delegados Décio Queirós e Jaime Guimarães, investigadores Romeu, Patrocínio, Wilson "Cabo de Vassoura" e Irurá. 1975. Orlando Pereira e sua equipe em diligencia no interior do estado.

 

1973. Patrocínio em local de reconstituição de latrocínio. Na 3ª foto: 1977. Geraldo "Cú de Burro", desconhecido, Swami e Dário Costa. 1977. "Zé Maria Zebú", Orlando "Cabela D'Alho e outros dois policiais no Festival de Inverno de Ouro Preto. Na última foto desta seleção, detetives Faria, Darci "Burro Branco", inspetor Leite e Paulo "Silú", em diligência de escolta do pistoleiro "Nenzinho", de Brasília para Almenara. 

 

1978. Diligencias no interior do estado.

Detetives Dauro Gagliardi, Osmar "Sapo", Nogueira "Boi Vermelho", Swami Vivekananda, Gama "Pescocinho", José Maria "Zebú", Severino e Nério Barbosa. 

 

1981. Roubo de jóias no Sul de Minas

Diligencias no Sul de Minas e RJ: Apuração de roubo de jóias e prisão de assaltantes. Policiais: Faria, Alcir "Comedor de Cachorro",Walter "Jumbo", Eli "Pastor" e João "Doido".

 

Diligencias no Sul de Minas:

Cidades de Campanha, Varginha e Poços de Caldas em 1981 e 1982.

 

ESPORTES

Conforme artigo Esportes/Futebol, neste site, verificaremos que a Polícia Civil de Minas Gerais e, em particular, a Furtos e Roubos, sempre liberaram o stress e as condições rotineiras de tensão e pressões psicológicas através dos esportes, principalmente o futebol.

 Na foto acima, de 1977, grupo de detetives da Furtos e Roubos em treinamento de judô. Da esquerda para direita, de pé: "Biscoito Murcho", Agostinho "Bobagem", Pinheirinho, Papa "preto", subinspetor Elcio "Português", Orlando "Cabeça D'Alho", Ronaldo Faria, Falcão, professor "Índio". Ajoelhados: "Morcego", Dauro, Swami, delegado Marcos Peres, Freitas "Cabeça de Rolinha", "General" e Sales "Pé Queimado". 

Abaixo: Sales, Fialho, Camargo, Braúna, Faria, João Feliciano e "Zebú de pé e Osmar "Sapo", agachado. Na 2ª foto, "Maurílio "Pé Podre", Osmar, "Zebú" de pé e "Cachimbinho" e "Zé Flávio agachados. 3ª foto: Sales, Braúna e Roberto "Pimpão".

 Na reportagem abaixo e foto, notícia sobre o campeão Kilo, com Irurá, o "Rato" e Pelau. O time: De pé: Walter "Carrapicho", o grande inspetor, Osvaldo Melgaço, "Tingué", Edson "Peguinho", Geraldino, Vicente "Gia", Edson Pedra, o "Sô Dico". Agachados: Pelau, José Flávio, o "Véi Zuza", Roberto "Pimpão", Irurá, o "Rato", Paulinho "Boizinho" e Murilo "Preto".

 

MEMÓRIA

          Registramos algumas imagens de policiais que participaram daquela excepcional equipe de profissionais da Delegacia de Furtos e Roubos. O painel está incompleto e será preenchido com fotos e registros de policiais, a medida que formos recebendo as informações.

           

Flávio "Peito de Aço"

           
Samuel Matozinhos "Cabo" Elói  "Cigano" João "Doido" "Caxangá" "Formiga" Dauro Gagliardi
Murilo "Preto"       Anésio  Loami  Nedir Placidonio Osmar "Sapo"  Nelsinho
 Ulisses Tião "Carão" "Xamprisco" Alcir Geraldo "Segueta" Geraldinho Valter "Jumbo"
 Joãozinho Patrocínio  Waltinho Romeu Rocha Melgaço      Orlando Eli "Pastor"
 Agostinho Itamar Thiago Roberto "Pimpão" Ivan, "Mico de Itú" Demerval "Chic Chic"       Freitas     Sales
Wilson "Cabo de
Vassoura"
Agostinho dos
Santos
  Delcy, "Chiclets". Zé Flávio, "Véi Zuza". Edson Pedra, "Sô Dico      Dário Costa        "Niltinho"
Augusto Barroso Cota Zé Ambrósio Falcão      Rogerinho "Resto de Incendio" "Valter Carrapicho"
Antonio "Pampulha" Maurílio "Pé Podre"        "Cachimbinho" Paulo Olegário Mafaldo "Calça Verde"         "Pinheirinho"
Nogueira, "Boi Vermelho"  Eustáquio A. Morais             Nivalmendes     Antonio Alves       Pascoal      Gercino   Jaci de Abreu
    Bambirra     Pio Nono    Jorge "Camarão"        Faria, Boy  João Reis, Sete Bóia       Sprovieiri     "Zé do Facão"
Ronaldo "Sujinho"   Ricardo Minelli Neto  George Semin  Benigno Alves da Costa        "Jorginho"       Tito Rosa   Juarez "Capacete"
Darci "Burro Branco".        Otávio      José Fernandes        Chiquinho      Vidigal      José Ribeiro      Raimundo Viana  
 Pinheirinho   Gama Pescocinho   João Júlio Papa  Antonio Roberto      Pachequinho     Edson "Peguinho".   José Carlos Bacelete
 Geraldo BC Alcides Maia Filho  Benfica  Morcego  Paulo "Silú"  Geraldo Flaviano Geraldo Cú de Burro

 

            Em 1984 a Delegacia de Furtos e Roubos, o "KILO" foi extinta. Para substitui-la foi inaugurada a Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, na Rua Uberaba, 175, Barro Preto.

 

 DIVISÃO DE CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO

 

          Em 1994, foi inaugurada a DCCP-Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, com transição de chefia entre os delegados Antonio Alves, o “Toninho” e João Reis. Possuía cinco delegacias especializadas de Furtos e Roubos instaladas no na Rua Uberaba, 175, no Barro Preto. Policiais como os delegados João Reis, Marco Antonio Teixeira, Inácio Barros, Minelli, Faria, Yebel, Marcelo Machado, Benigno, Odilon, Renato Queirós, são alguns dos que passaram por lá, com a nova geração de investigadores, mesclados com alguns do antigo KILO, transferidos para a nova unidade policial.           


Sequencia de Delegados  dentre os anos de 1988 a 1992: Benigno Alves da Costa, Antonio João dos Reis, Odilon, Paulo Porto, Vicente Lacerda. Faria, Marco Antonio Teixeira, José dos Santos Félix Martins, Valdomiro Pascoal do Vale, Ricardo Minelli Neto, Hilário e Renato Queirós. 

1ª foto: 1988. Churrasco na casa do "Zé dos Santos. "Paulete", Faria, "Zé", Roberto "Sujinho" e Hilário. 2ª foto: 1990. Policiais da 4ª DEFR. "Dote", Faria, Valdir, Djalma "Faísca". 

 Acima:  1992. Encontro com advogadas: delegados Reis, Faria, Messias. Subinspetor Jorge Camarão e outros policiais da 4ª DEFR. 1990. Encontro promovido pelo Chefe do DI, Nilton Ribeiro com os delegados Faria, Arcebispo, Osmar Dias Duarte, Geraldo Magela,João "Gambá" e outros. Policiais da DCCP. Delegados José dos Santos, Faria, Renato, Paulo Porto, Pascoal e "Marquinho". Foto grande: inspetores Falcão, Paulinho "Caracu", Edson "Peguinho", Rosemberg e Antonio Roberto com policiais da Furtos (DCCP).

 

A FERA

               A FERA-Força Especial de Repressão aos Assaltos foi um grupo criado por Antonio João dos Reis, quando titular da Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, em 1985. Tinha como função dar o apoio operacional às delegacias especializadas nas ações táticas e nos enfrentamentos mais perigosos. Era um grupo composto de policiais linha de frente da Furtos e Roubos, com sua frota de Opalas, bem aparelhados para a época.

 

          A Revista Ronda Policial de 1990, registra parte dos policiais da DCCP e sua rotina no período que Faria trabalhou naquela unidade. Na segunda imagem, Faria está ladeado por detetives de sua equipe. Nas demais fotos, delegado "Zé dos Santos", inspetores, subinspetores, Chefe de Cartório "Chiquinho" e detetives.

 


Policiais Gilberto, Daniel, Mauricinho, Alcides, Pracatá, Marcos Resende, Loami, Edson, Cabelinho, Almir e outros.


DERB. Delegacia Especializada na Repressão ao Roubo a Banco.

Outras informações sobre a DERB no endereço eletrônico:http://cyberpolicia.com.br/index.php/orgaos-operacionais/426-derb-roubo-a-banco

Imagem relacionada Imagem relacionada

 

ENCONTROS DOS COMPANHEIROS KILO.

 

Para não perderem o elo de amizade e união que sempre pautou a vida dos policiais da Furtos e Roubos, foi criado nos últimos anos os ENCONTROS DO KILO, oportunidade única para a reunião de grandes gerações de policiais. Ali velhas histórias de momentos grandiosos da Polícia Civil de Minas Gerais são recordados e trocados entre os participantes.

 

 

2011 História da Delegacia de Furtos e Roubos, o KILO e DCCP. © 2012 - Cyberpolicia: História da Polícia Operacional Investigativa
Powered by Joomla 1.7 Templates, read web hosting reviews